domingo, 19 de fevereiro de 2012

Sobre Mário Silva







MÁRIO SILVA nasceu em 1929 – Portugal, Coimbra (Bencanta). Vive e trabalha na sua casa-atelier, em Lavos, Figueira da Foz. Notável artista plástico contemporâneo português, remetido à geração de 60, consagra a existência a uma acção cultural, humanística e libertária, de contestação ao establishment.

Frequentou a faculdade de engenharia da Universidade de Coimbra que abandona, em finais do curso, sendo co-fundador do Círculo de Artes Plásticas da Associação Académica e interventor, com Reys Santos, no II Colóquio Internacional de Arte, onde conhece René Huyghe.

Iniciada há 45 anos, a sua carreira profissional alcançou grande sucesso público, conquistando interesse crítico nacional e internacional. A sua obra estética consagra-se principalmente à pintura, mas alarga-se aos domínios das artes gráficas (monotipia, gravura, serigrafia, ilustração, cartaz), da cerâmica, escultura e arte pública monumental.

Desde a década de 60, o seu trabalho percorre inúmeros Salões Institucionais, Bienais, Exposições Colectivas e Individuais (nacionais e internacionais), em Portugal (Lisboa, Estoril, Porto, Coimbra, muitas outras cidades e centros universitários), na Suécia (Estocolmo), na Dinamarca (Copenhaga), nos Países-Baixos (Amsterdão, Roterdão e Utreque), na Bélgica (Bruxelas), Reino Unido (Londres, Escócia/Glasgow), Finlândia (Helsínquia), Dinamarca (Egsberg), França (Paris, Lille, Chaville), Itália (Roma, Milão, Sienna, Florença, Gabice-Mare, Como, Montecatini), Espanha (Madrid, Sottomayor, Salamanca, Sevilha, Barcelona, Vigo), Suíça (Berna, Basileia, Genebra, Wessel, Burckhardt), Alemanha (Berlim, Hamburgo, Hanôver), Áustria (Salzburgo), USA (New York, Houston, Chicago, Buffalo, Michigan, Toledo/Ohio, New Jersey, Florida, Montgomery, Los Angeles, Filadélfia, Anchorage), Brasil (Rio de Janeiro, S. Paulo, Salvador Bahia), Guatemala, Cuba (Havana, Sant’iago), Angola (Luanda), Marrocos, Japão (Chibak, Tóquio) e Tailândia (Bangkok).

Possui inúmeros prémios nacionais e internacionais, como a Copa per il miglior Artista d’Avanguardia (Milão-Itália, 74), o Grande Premio Galliano (Milão, 75), o Prémio Internacional da Paz (Instituto Internacional de Estudos Humanísticos de Roma - Fundação para os Poetas, Escritores, Pintores e Jornalistas, Itália, 83), os 1os Prémios Arte d’Avanguardia (Milão, Itália, 74), Valbruna Prize-Escultura (Gabicce-Mare-Itália, 71) e, entre outras, as Taças de Prata (Comuna di Como-Itália 1972 e 82) e a Medalha de Ouro (Giro delle Arte di Lombardia-Itália 75).

Obras suas figuram em vários Museus de Arte Moderna e Contemporânea (estrangeiro: Rio de Janeiro, S. Paulo, Boston, Anchorage, Amsterdão, Montecatini, Estocolmo; Portugal: Coimbra, Lisboa, Amarante, Castelo Branco, F. da Foz, V. F. de Xira, Viseu, Ovar), Galerias de Arte, Acervos Públicos e Colecções Particulares privadas, dispersas por todo o mundo.
É sócio da Sociedade Nacional de Belas Artes (Lisboa), Vice-Presidente do Conselho de Direcção da ANAP-Associação Nacional dos Artistas Portugueses (Porto) e foi eleito membro do Comité Português para a AIAP-Association Internationale des Arts Plastiques|Unesco (Paris).
Em 2006, o Município de Coimbra distinguiu-o com a Medalha de Mérito Cultural da Cidade e, em 2007, foi galardoado pelo Governo Português com a Medalha de Mérito Cultural, atribuída e entregue pela Ministra da Cultura. Tendo sido no ano de 2009 agraciado com prémio carreira pela “Biennale Internazionale Dell´Arte Contemporanea” em Florença.


Relacionado com inúmeros artistas, homens de letras e cientistas, de múltiplas escolas e movimentos de todo o mundo, tem promovido a divulgação interdisciplinar da arte, em diálogo permanente com as gerações mais jovens.